METAS

Equipa Técnica

Educadora Social
Técnica Superior de Educação
Dinamizador Comunitário
Monitor de informática



O consórcio do Projecto é composto por:

ADILO – Agência de Desenvolvimento Integrado de Lordelo do Ouro
Agrupamento Vertical de Escolas Dr. Leonardo Coimbra (filho)
Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro
Comissão de Protecção de Crianças e Jovens – Porto Ocidental
Fundação de Serralves
Instituto Português da Juventude
Direcção Geral de Reinserção Social
Ágil – Associação de Jovens de Lordelo do Ouro
Fundação Casa da Música

O Projecto METAS – Mediar Escolhas, Trabalhar Autonomias, financiado pelo Programa Escolhas e promovido pela ADILO – Agência de Desenvolvimento Integrado de Lordelo do Ouro terá uma duração de 3 anos: 1 de Janeiro a 2010 a 31 de Dezembro de 2012.

Para potenciar a inclusão social de crianças e jovens (objectivo geral 1), o projecto incide nos factores de protecção relacionados com o sucesso escolar e a estruturação de projectos de vida. Assim, no âmbito da medida 1, o trabalho incidirá sobre as turmas do 2º ano de escolaridade, das 3 escolas EB1 do Agrupamento. A opção por estas turmas justifica-se, fundamentalmente por permitir o acompanhamento prolongado desses alunos até à conclusão do 1º ciclo. O trabalho com essas turmas passará pela intervenção em sala de aula, bem como o trabalho com pais e professores. Como eixo estruturante desta intervenção será aplicado o Plano de Sucesso Educativo (PSE), aos alunos que revelarem maiores dificuldades. Esta metodologia traduz-se no apoio individualizado ao aluno, e no envolvimento deste, da escola, da família e do projecto na negociação e concretização de acções com vista a ultrapassar as dificuldades detectadas. Serão ainda apoiadas, no ano lectivo 2009/2010, 2 turmas de 4º ano, de forma a dar continuidade e conclusão ao trabalho iniciado com estes alunos no projecto anterior.

Ainda no âmbito deste objectivo, serão acompanhados jovens, fora da escolaridade obrigatória, para que possam candidatar-se a exames autopropostos, com vista à conclusão do 2º ciclo. O apoio à Turma 6 passará por uma preparação ao nível das aprendizagens e apoio psicossocial.

Uma outra resposta para jovens com percursos problemáticos, é o Programa de Apoio à Reinserção (PAR), que será desenvolvido em estreita articulação com a DGRS. Visa reforçar os factores individuais, sociais e comunitários de protecção, por forma a impedir a reincidência de comportamentos desviantes. O projecto constituirá um mediador entre o jovem, a DGRS e outras instituições da comunidade, onde os jovens possam, cumprir a medida tutelar educativa, sendo que alguns deles poderão fazê-lo nos vários serviços da ADILO e, em particular, no CIJ.

Para potenciar a participação cívica, cultural e social de crianças e jovens (Objectivo Geral 2) este projecto acompanhará a ÀGIL-Associação de jovens, com vista à sua consolidação como importante estrutura dinamizadora nesta comunidade. Dirigido a crianças e jovens em geral e com a intenção de facilitar a descoberta das suas competências, este projecto contempla várias actividades como sejam as Oficinas Experienciais, Judo, e as Férias Ágeis, sendo esta última da responsabilidade da AGIL.

Será também desenvolvido um Programa de Diversificação de Experiências Culturais, com uma dupla vertente: uma participativa, de exploração de referências e alargamento dos padrões culturais; e uma outra, que apela a um tipo de participação mais activa, onde os jovens se assumem como produtores de iniciativas, desenvolvendo outras competências de organização, planeamento e execução. A construção de um jornal, a realização de uma curta-metragem e do Seminário de Arte Urbana, são exemplos desta dimensão de produção, cuja divulgação e disseminação na comunidade, permitirá desconstruir representações negativas, normalmente associadas a estes jovens.

Transversal e em articulação com todos os objectivos está a Inclusão Digital (CID), que se assume como recurso estratégico para o seu cumprimento. Assim, tanto para o sucesso escolar das crianças das EB1, como para o dos jovens da Turma 6, terá um importante papel de facilitador e motivador para as aprendizagens. Relativamente à descoberta e desenvolvimento de competências, o CID dinamizará acções de formação em áreas que permitirão apoiar a construção dos produtos culturais, para além de se assumir como um instrumento fundamental para concretização destes. Os momentos de acesso livre, permitirão o contacto com as novas tecnologias, ao mesmo tempo que servirá de meio de captação dos jovens para outras actividades mais estruturadas, quer do CID quer do projecto.